domingo, 23 de março de 2008

À toa

Hoje passei o domingo à toa à toa, que nem a andorinha do poema de Manuel Bandeira, que ainda é meu poeta preferido. Há muito tempo eu não passava um domingo tão à toa, sem trabalhar, sem ir ao supermercado, sem sequer caminhar (coisa que adoro). Nem peguei no carro (odeio dirigir em Cuiabá!)
Combinamos um churrasco no prédio e passei o dia tomando sol, comendo carne, tomando cerveja e jogando conversa fora, aliás ouvindo mais do que falando. Não sou muito boa pra falar em grupo. Só consigo conversa tête-à-tête, no máximo com duas pessoas ao mesmo tempo. Não sei se é timidez ou preguiça de disputar a palavra com outras pessoas (sempre tem alguém na roda que domina a palavra).
Hoje, por incrível que pareça, quem mais falou foi uma senhora de 81 anos, uma gracinha! Acho fantástico que uma pessoa tão idosa tenha tanta vivacidade e tanto desejo de compartilhar suas histórias e opiniões. Num determinado momento da conversa, ela disse:"Por favor tire a Gisela da casa". Foi muito engraçado porque a moça que estava seu lado achou que tinha alguém na casa dela que precisava ser expulsa. Eu, como já confessei neste espaço, dou minhas peruadas no BBB e, portanto, logo entendi do que ela estava falando. Mas não deixo de ficar espantada como pessoas tão comuns e superficiais (como os "heróis" do BBB, nas palavras do apresentador Pedro Bial) conseguem mobilizar tanto outras pessoas como a minha velhinha que, provavelmente, foi dormir muito fula da vida porque a Gisele não foi expulsa da casa.
Apesar de ter passado meu dia tão à toa terminei o domingo desejando que amanhã fosse domingo de novo porque não cheguei a descansar. Como trabalhei na quinta, na sexta e ontem, ainda estou meio cansada. O momento mais gostoso do churrasco hoje foi quando fiquei na piscina deitada num colchão de ar. Que delícia! Que soneca gostosa tirei sentindo a água se agitando sob o colchão. Não sei o que faria se vivesse num deserto.. Sou absolutamente fascinada por água e não consigo entender como algumas pessoas conseguem encarar um churrasco à beira da piscina sem entrar na piscina. E o mais estranho é que elas ficam reclamando do calor.
Enfim, a semana vai ser puxada porque vai ter fechamento da revista e também porque terei ensaios do coral todos os dias, já que nossas apresentações acontecerão na sexta, sábado e domingo. Dá um frio na barriga!
Começo mais uma semana mantendo o coração solitário, porém um pouco mais feliz.
PS. Blog também é cultura! Para não escrever "à toa" errado, escrevi a expressão no google e encontrei várias entradas sobre a grafia correta de "à toa" com explicações sobre as diferenças entre essa expresão, uma locução adverbial, segundo o prof. Paulo Fernandes, e "à-toa", uma locução adjetiva, que significa "desprezível, sem importância, inútil". Como meu dia foi "à toa" e não "à-toa", optei pela primeira grafia.

Um comentário:

diegobaraldi disse...

Martha, fiquei fascinado pelo tom confessional de algumas passagens do blog. Achei extremamente corajosa essa coisa de compartilhar as tuas impressões sobre você e o mundo aqui no blog. Vou ficar atento às atualizações. Beijos.