quarta-feira, 16 de abril de 2008

Ser jornalista -1ª parte

Antes de retomar o trabalho, vou escrever aqui sobre um tema que se insinuou na minha cabeça no trajeto para a redação da revista. Não tenho a pretensão de esgotá-l0 agora porque é um assunto longo e bastante importante para mim.
Acho que nasci para ser repórter. Embora adore ser professora, não consigo me imaginar em outra profissão. Mas o que provocou em mim esse desejo? Basicamente a vontade de sair do meu mundinho pequeno burguês, da minha condição de "raspa de tacho", ou seja, de filha caçula super temporã. Tive condições de seguir outras profissões, estudei em bons colégios, sempre me destaquei como aluna, mas escolhi fazer o curso de Comunicação Social, com uma certa raiva, já que o queria mesmo era ser jornalista. Não me adiantou a advertência de um cunhado considerado super inteligente de que jornalismo era profissão de "gente burra". Eu, na sua avaliação, merecia coisa melhor.
Mas o que eu queria mesmo era ganhar mundo, "correr perigo", como diz Caetano Veloso em "Você não entende nada". Queria conhecer outros países, lugares não freqüentados por uma menina de classe média moradora da Zona Sul do Rio; conversar com gente com quem eu não tromparia normalmente; falar de assuntos proibidos, tabus.
Valeu a pena? Em alguns momentos, sim, porém aí vem o lado mais complicado da história: o medo, o comodismo, as conveniências, não só meus, pessoais, como dos órgãos, empresas para os quais trabalhei. Tentei fugir um pouco dessa camisa-de-força: fiz frila para o jornal alternativo "O Repórter", onde dividi o expediente com pessoas bem mais destemidas como Tim Lopes e Caco Barcelos. Fiz coberturas formidáveis (principalmente, quando trabalhava na sucursal da revista Veja) que me deram reconhecimento profissional e prêmios.
Mas, sempre faltou alguma coisa.

2 comentários:

Soler disse...

Agora por conhecidência,fui ao seu nome e sua profissão.Mas depois de ler "Ser Jornalista", estava meio querendo sair um pouco fora disso mas percebi semelhanças, que me fez Refletir.Desculpa Não sei se ira responder em meu blog porque ele esta bem recente e com pouca coisa, foi um prazer ler dois textos seus.Desculpa. E acredito que vc fez a escolha certa.Tomara que eu também.
Estou ate com vergonha que lei alguma coisa minha.

Abraço

Martha disse...

Você é a primeira pessoa "desconhecida" a comentar o meu blog, por isso seja muito bem-vindo. Vou dar uma olhada no seu blog assim que tiver um tempo.
Não deixe de me visitar.