quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Questão de escolha

Vamos, Martha, esqueça o pessoal que está viajando ou, pelo menos, esticando uma semana de preguiça após o Réveillon. Você também já experimentou essa sensação, portanto, nada de reclamações!
Um pouquinho de sol à beira-mar? Pra quê, se tenho a piscina do Golfinho Azul? Um passeio na Lagoa Rodrigo de Freitas com direito a uma parada num quiosque para uma caipirinha ou um chopp? O que é isso para quem tem o Parque Mãe Bonifácia e as noites sempre quentes do Chorinho com direito ao atendimento vip do garçon Juliano?
Brincadeiras à parte, decidi que não vou me deixar abater pelas condições do momento.  Preciso me manter lúcida e focada para poder sonhar com as férias, que podem ser no Rio, em Vila Bela da Santíssima Trindade (morro de vontade de conhecer e meu sonho é visitar a cidade em julho, durante a festa do Congo) ou em Machu Picchu (outro sonho de consumo).
Não desejo nada impossível, né mesmo? Pior é quem tem dinheiro sobrando e nem tem vontade de sair de casa, ou melhor, nem sabe aonde ir ou sequer se identifica com o prazer provocado por um pouco de ócio (sempre criativo). Diga-se a bem da verdade que tenho um amigo que diz estar completamente feliz em casa e não sente mais vontade de visitar outros lugares. É uma questão de escolha.  No que me diz respeito, amo viajar e sempre desejei trabalhar e ter dinheiro para poder viajar.
Espero poder retomar esse estilo de vida em breve.

2 comentários:

Chorik disse...

Eu também me sinto bem em casa, não tenho ganas de conhecer o mundo. Me ligo mais às pessoas do que aos lugares. Questão de escolha, como você bem disse.
Se a grana faltar, venha conhecer Americana. Será um prazer recepcioná-la. Mas alerto que aqui não se tem nada pra ver ou fazer! rs

Martha disse...

Obrigada pelo convite! Pena que seja longe ...