sábado, 7 de janeiro de 2012

Incoerência

Acabei de ler um texto lindo de um amigo blogueiro. O texto é baseado na lenda "O cavalo de Saiou" e o blog se chama "Cotidiano de um Espirito".  Se tiverem curiosidade de ler, ele já está incluído na minha lista de blogs.
O texto bate na tecla de que nada acontece por acaso e que nosso espírito está aqui para aprender. Tomara que seja verdade.
Tenho pensado muito nos últimos dias e me esforçado bastante para não ficar triste. Afinal, tenho duas filhas maravilhosas, família idem, saúde, conforto, etc, etc.
Mas o fato é que tenho me sentindo muito sozinha e não é fácil ficar sozinha com meus pensamentos.
Tive tantas oportunidades na vida e aproveitei muitas deles. Fui corajosa, reconheço, porém não assegurei muitas conquistas feitas e hoje eu me sinto meio de mãos vazias.
É doloroso admitir isso.
Estou buscando desesperadamente saídas para essa sensação de angústia e frustração, atenuada com trabalho, a prática de natação e yoga, e leituras.
Assisto atônita ao noticiário de TV.
Inúmeras pessoas perdem tudo que conseguiram juntar em catástrofes mais ou menos naturais. Aquela história dos moradores da região de Campos, no norte fluminense, que tiveram suas casas inundadas depois que a enchente derrubou um pedaço da estrada é de doer! A matéria de ontem do Jornal Nacional ou do Hoje (já não me lembro) me confundiu mais do que esclareceu em relação às (ir)responsabilidades sobre a construção da rodovia.
Outra reportagem mostrou centenas de pessoas em várias cidades passando dias em filas em frente a lojas de eletromésticos para aproveitar as liquidações. Compram tanto para depois as enchentes levaram tudo (ou os ladrões)!
Em Cuiabá, a polícia esforça-se para prender dezenas de criminosos envolvidos na modalidade denominada "saidinha de banco", aí vem um desembargador e solta todo mundo por uma firula jurídica. Ontem, saíram novos mandados de prisão contra os ladrões. Tomara que eles estejam quietinhos esperando a polícia prendê-los de novo.
Juro que quero acreditar na sociedade, ser positiva, mas fica difícil diante de tanta incoerência de quem deveria zelar por uma vida mais segura.

Um comentário:

Chorik disse...

Obrigado, Martha.