quinta-feira, 29 de dezembro de 2011



Acho que vou tentar fazer agora o meu post de final de ano. Se der vontade de escrever amanhã de novo, tudo bem, se não der, já fica a minha despedida.

Quisera estar mais animada ... A proposta aqui sempre foi ser sincera num espaço privado, que se torna público por força da tecnologia.

É como se eu escrevesse para mim mesma e para o mundo inteiro. Qualquer um que quiser pode me ler, dedicar alguns minutos do seu tempo a mim.

É estranho pensar que várias pessoas fizeram isso ao longo do ano e dos últimos três anos.

Esse final de ano está difícil.

Minhas filhas estão bem e harmonizadas com os cursos escolhidos, mas eu estou insatisfeita comigo mesma. Acho que estou ficando meio doida porque no meu último post estava toda feliz, dizendo estar "de bem com a vida".

Na verdade, estou angustiada, desanimada e desperançosa. Estou me sentindo muito sozinha e, ao mesmo tempo, tenho a sensação de que não tenho muita coisa para dar às pessoas.

Sinto que estou precisando uma chacoalhada. Há pouco conversava com um grande amigo que conheci em Cuiabá e voltou para sua cidade natal. Mais uma vez ele me disse: "Volta pro Rio". Acho que não dou conta. Tenho medo de largar o meu conforto (perverso?) e quebrar a cara. Estou insegura demais para isso. E também não sei se é essa a solução.

Há oito anos quando cheguei a Cuiabá, também estava insegura, mas tinha mais energia e estava animada. Encarei o desafio de dar aulas numa universidade federal, numa particular, num curso de francês, de inglês, de trabalhar numa revista de agronegócio, de viajar por esse Mato Grosso afora, publiquei um livro, escrevi outro.

A sensação que tenho é que nadei, nadei e morri na praia este ano. Eu me mexei bastante. Passei por duas redações de Cuiabá, inventei novos trabalhos, fiz um monte de frilas, consegui entrar (ainda que de uma forma temporária) numa empresa que adoro.

Nadei, caminhei, cantei, dancei, namorei bem menos do que gostaria e não sinto que esteja terminando meu ano fortalecida. Pelo contrário. É como se eu não tivesse me completado em nada do que fiz, como se o quebra-cabeça não tivesse sido montado. Quando parecia que ia ser montado, alguém misturava todas as peças de novo.

Juro que não era isso que gostaria de dizer neste momento, mas é o que estou sentindo.

Não me julguem, nem me condenem, nem sofram por mim.

Amanhã vou estar melhor e vou continuar buscando esse caminho.

As pessoas falam tanto do caminho do coração. Fiquei alguns minutos parada tentando ouvir o meu, mas não consegui captar a mensagem. Vou insistir.




5 comentários:

Anônimo disse...

Martha,aqui quem escreve é sua vizinha Isabela,Queria lhe desejar tudo de bom nesse ano que vem chegando,muita paz,amor,felicidade,que seja um ano de realizações e coisas boas para você,Diana e Marina ...
Feliz 2012...

Blog do Akira disse...

Martha

Balanço de fim de ano, o cinco ésses antes da virada, fico assim também, meio eufórico e meio deprê. Uma hora eu sou o rei da cocada preta, outra hora eu sou um bosta n'água da correnteza.
Desejo um bom ano novo para voce, Martha, que se for bom já estará bom demais. E egoista que sou, desejo que voce continue encantando-nos com seus textos maravilhosos, inteligentes e semepre oportunos.
Um grande abraço do Akira.

Martha disse...

Valeu Akira e valeu Isabela! Obrigada pelos votos de coisas boas ... Desejo um ótimo 2012 para vocês também!

Chorik disse...

ulanAkira-san disse tudo. Só acrescentaria uma coisa. Estamos vivenciando um momento importante de transição faz algumas décadas. Deve durar ainda alguns anos e não tem nada a ver com o fim do mundo, mas com transformação.
Estamos aqui porque escolhemos estar aqui. Esse sentimento de inadequação e insegurança vem do compromisso que assumimos, o de sermos agentes catalizadores da transformação.
Ninguém nos disse que seria fácil, mas se confiaram em nós para tal tarefa, é porque temos condições de contribuir, cada qual com sua sensibilidade e inteligência, talento e determinação.
Continua a nadar, amiga Martha, uma hora essa nuvem se dissipa. Espero tê-la ao meu lado em 2012, seja em Cuiabá, no Rio ou em Marte.
Bj

Martha disse...

Adoro esses meus amigos blogueiros de olhinhos puxados com seus comentários divetidos e sempre tão gentis! Uma grande aquisição do meu blog!