terça-feira, 27 de março de 2012

Cenas urbanas

Faz tempo que não comento um fato ocorrido em Cuiabá no meu blog, mas esse foi demais. Dois caras trocaram tiros na avenida do CPA por volta de 8h, na noite de segunda-feira. Todos os sites de Mato Grosso noticiaram o fato hoje (se quiserem saber mais detalhes, confiram, por exemplo, www.olhardireto.com.br
Para dar uma ideia para quem não mora em Cuiabá, é como se duas pessoas trocassem tiros na avenida Nossa Senhora de Copacabana no Rio de Janeiro ou na avenida Paulista em São Paulo. Não sei se a comparação é esdrúxula, mas  o que quero dizer que a avenida do CPA (ou Rubens de Mendonça) é super movimentada e caminho para todos que vão do Centro em direção ao Centro Político Administrativo (o CPA) ou bairros adjacentes.
Eu mesma passo praticamente todo dia em algum ponto dessa avenida.
Pelo que li um policial federal (Walter Sebastião Piovan Júnior) e um papiloscopista (Fabrício Francisco Costa Leite) envolveram-se numa briga de trânsito e o policial já desceu atirando no segundo, que revidou.  Foram muitas cápsulas deflagradas, mas incrivelmente ninguém se feriu com gravidade (ainda bem). As reportagens mostram Fabrício com a camisa suja de sangue de ferimentos provocados por estilhaços de vidro.
Pelo que sei, até agora, ele foi indiciado por porte ilegal de arma. Legal!
Os dois envolvidos no "incidente" de trânsito pagaram fiança de pouco mais de R$ 600 e foram liberdados.
Em que cidade vivemos? Duas pessoas, dois policiais, saem disparando suas armas em pleno trânsito como loucos? Ninguém é preso, fica tudo por isso mesmo.
Por essas e outras que eu dizia outro dia a uma das minhas filhas que sou de uma geração que mais teme a polícia do que se sente protegida por ela. É uma pena que bons policiais paguem pelos outros, mas o fato é que há armas e poder demais nas mãos de pessoas que se mostram totalmente despreparadas para enfrentar os mais simples conflitos do dia a dia, como um incidente de trânsito.
Não gosto de denegrir a imagem do meu estado e da cidade onde moro, mas é duro aguentar outras pessoas dizendo que o Rio de Janeiro é perigoso diante de acontecimentos como esse ou como o do "segurança do banco" que matou um cliente (o dono do restaurante Adriano) há alguns meses e que se livrou tranquilamente do flagrante.
A expressão é batida, mas não dá para fugir dela: é bem Mato Grosso!

Um comentário:

SAMADHI PADA - Yoga e Psicologia disse...

Que loucura Martha!!! Cuiabá está realmente muito perigoso. Um abraço, Viviane.