quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Quem bate para ensinar ensina a bater

Hoje, no horário de almoço, vi uma reportagem interessante no telejornal Hoje sobre a violência contra crianças, na verdade sobre o uso de castigos físicos pelos pais. A matéria falava sobre um movimento envolvendo crianças de vários países, inclusive o Brasil. O mais bacana foi ver algumas dessas crianças falando sobre o assunto com propriedade.
O slogan da campanha é: "Quem bate para ensinar ensina a bater".
Gostei de saber que pessoas estão se mobilizando em torno do assunto. Estou longe de ser santa, mas sempre detestei a violência. É claro que em alguns momentos já dei umas palmadinhas nas minhas filhas e não faço drama sobre isso. Mas sempre fui e sempre serei contra a violência, embora tenha conhecido pessoas aparentemente "normais" que me relataram ter sofrido castigos/surras cruéis de seus pais. Não posso assegurar se ter sido alvo ou não desse tipo de violência torna as pessoas mais bem sucedidas profissionalmente, ou responsáveis socialmente, ou simplesmente mais ou menos apegadas a seus pais, mas acho injusto alguém maior, que detém um poder sobre o outro (emocional, financeiro), lançar mão dessa situação para provocar dor e humilhação.
Penso também que violência gera violência. Sei que é típico do ser humano bater, agredir, porém, no meu ponto de vista, isso não nos torna maiores. Muito pelo contrário, isso só comprova o nosso lado bestial.
Acredito que pessoas criadas em meio a gritos, espancamentos, tendem a encarar esse comportamento como normal e repeti-lo ao longo da vida. Mas sei que o tema é controverso. Pelo menos está sendo discutido de forma mais autêntica e do ponto de vista de quem sé vítima da violência.

PS. O fato de eu ser contra a violência não significa que eu seja a favor de crianças mal educadas e sem limite. Nunca fui do tipo de mãe que muda a decoração da casa por causa dos filhos, nem que permite que suas crianças sejam execradas por seu comportamento durante visitas a casas de amigos/parentes ou a locais públicos. E tenho verdadeiro horror a pais omissos e/ou ausentes, do tipo que esquece filho na escola ou não faz o menor esforço para prestigiar o pimpolho na festinha da escola.

2 comentários:

Patricia disse...

Visitem a comunidade "Quem bate para ensinar...ensina a bater" http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=96631891
Abraços

Martha disse...

Valeu a dica!
Abraços