segunda-feira, 17 de outubro de 2011

O Concerto

Ando tão cansada de falar de coisas ruins que hoje vou falar sobre um filme maravilhoso ao qual assisti ontem por um golpe de sorte.
Estava retornando tristinha do aeroporto ontem, de manhã, depois de deixar minha filha caçula e resolvi passar pela videolocadora Casablanca para pegar um DVD.
(Aqui cabe uma observação: a Casablanca é uma locadora tradicional de Cuiabá e fica perto da minha casa, mas só esta semana fiz meu cadastro lá, por sugestão de uma amiga).
Dei uma olhada sonolenta (afinal, ontem foi o primeiro domingo do horário de verão e justamente nesse tive que acordar cedo, para os meus padrões dominicais) e cheguei a escolher um DVD, mas troquei-o por outro que sorriu para mim da prateleira.
Li o enredo, gostei, mas não tinha informação alguma sobre o filme e tive uma grata surpresa.  O filme é diferente, engraçado em alguns momentos, dramático em outros e me arrebatou com sua sequência final. Chorei feito uma idiota.
Não tenho a intenção de contar sobre a história e sim dizer que o filme, do diretor romeno Radu Mihaileanu (uma produção de 2010), trata de um dos meus temas preferidos (abordado há duas semanas num post intitulado "Beleza e horror"): o poder da música, de aproximar as pessoas, enlouquecê-las, humanizá-las ...
Gostei tanto do filme que pretendo revê-lo.